NewsQuiksilver Pro France

Filipe e Alejo se classificam na França

Highlights: Quiksilver Pro France
2:01
O mar melhorou e o show foi dentro d'água

Mais dois brasileiros se classificaram para a terceira fase do Quiksilver Pro France e sete continuam na disputa do título da nona etapa do Samsung Galaxy World Surf League Championship Tour. Os campeões mundiais Gabriel Medina e Adriano de Souza, os também paulistas Caio Ibelli e Miguel Pupo e o potiguar Italo Ferreira, já tinham se garantido por terem estreado com vitórias. E na sexta-feira de boas ondas de 4-5 pés na praia Les Culs Nus de Hossegor, Filipe Toledo ganhou o duelo paulista com Alex Ribeiro e o catarinense Alejo Muniz despachou o taitiano Michel Bourez no confronto seguinte.

Filipe Toledo during Round 2 at the QUiksilver Pro France. Filipe Toledo WSL / Damien Poullenot

O dia começou com o ex-líder do ranking, Matt Wilkinson, ganhando por pouco do francês Joan Duru, 14,56 a 14,33 pontos. Depois, três cabeças de chave foram barrados na primeira rodada eliminatória do Quiksilver Pro France. Campeão da etapa passada em Lower Trestles, na Califórnia, Estados Unidos, quando assumiu a quarta posição no ranking, o sul-africano Jordy Smith foi batido pelo australiano Ryan Callinan por 12,26 a 11,83. O convidado Leonardo Fioravanti, da Itália, derrotou o onze vezes campeão mundial Kelly Slater por 13,26 a 10,16. E o jovem Matt Banting superou o experiente Joel Parkinson por 11,50 a 10,74.

A participação do Brasil na segunda fase começou na sexta bateria, no duelo paulista do surfista de Ubatuba que mora em San Clemente, na Califórnia, Filipe Toledo, com o da Praia Grande, Alex Ribeiro. Filipe achou duas boas direitas que abriram a parede para ele fazer uma série de três manobras executadas com pressão e velocidade para vencer por 15,67 pontos. Era o maior placar do dia até ali, enquanto Alex só conseguiu 7,60 nas duas notas computadas.

Alejo Muniz (BRA) Placed 1st in Heat 7 of Round Two at Quiksilver Pro France 16 Alejo Muniz WSL / Poullenot/Aquashot

Logo após o confronto verde-amarelo, o catarinense Alejo Muniz despachou outro cabeça de chave, o taitiano Michel Bourez. Seu oponente até começou melhor com nota 5,33 e liderou praticamente toda a bateria, mas o brasileiro conseguiu uma reação fulminante nas duas últimas ondas que ele surfou. Na penúltima ganhou nota 5,50 e a última valeu 6,50 para fechar o placar da vitória em 12,00 a 11,33 pontos.

Já os outros dois brasileiros que competiram na sexta-feira foram derrotados por dois americanos. O ubatubense Wiggolly Dantas largou na frente com nota 5,67, mas logo Conner Coffin deu o troco com 7,33 e na onda seguinte surfou um tubaço que valeu nota 9,00 para registrar um novo recorde de 16,33 pontos na segunda fase. O brasileiro também pegou um tubo nas esquerdas de Les Culs Nus, porém foi mais curto e recebeu 6,93 apenas para sair da "combination", ficando com 12,60 pontos.

Alex Ribeiro during Round 2 at the QUiksilver Pro France. Alex Ribeiro WSL / Damien Poullenot

A bateria que fechou a segunda fase era um confronto direto por vaga no grupo dos 22 primeiros colocados no ranking que são mantidos na elite dos top-34 da World Surf League para o ano que vem. A condição do mar já estava bem mais difícil com a mudança da maré em Les Culs Nus e o potiguar Jadson André tentou de tudo para vencer. Ele foi em várias ondas que fecharam rápido e infelizmente não conseguiu reverter o placar encerrado em 12,43 a 9,17 pontos para Kanoa Igarashi. Com a derrota em 25.o lugar, Jadson acabou saindo da zona de classificação para o CT de 2017 na França.

TERCEIRA FASE - Apesar das três eliminações na sexta-feira, o Brasil tem sete surfistas já escalados para disputar a terceira fase do Quiksilver Pro France. O primeiro a competir será o atual campeão mundial Adriano de Souza na segunda bateria, contra o americano Conner Coffin. Na terceira, o potiguar Italo Ferreira enfrenta Matt Banting e na quarta o paulista Filipe Toledo pega outro australiano, Davey Cathels, o mesmo que o derrotou na primeira fase.

Julian Wilson during Round 2 at the QUiksilver Pro France. Julian Wilson WSL / Damien Poullenot

Em seguida, se apresentam os ponteiros do ranking. O havaiano John John Florence defende a primeira posição no Jeep WSL Leader contra o australiano Ryan Callinan na sexta bateria. E o defensor do título do Quiksilver Pro France, Gabriel Medina, entra na sétima com o italiano Leonardo Fioravanti, que barrou a fera Kelly Slater na sexta-feira. John John e Medina são os principais concorrentes ao título mundial desse ano e o australiano Matt Wilkinson é o outro único que também briga pela ponta do ranking na França.

Logo após o duelo entre Gabriel Medina e o líder do ranking do WSL Qualifying Series, Leonardo Fioravanti, o paulista Caio Ibelli enfrenta o norte-americano Kanoa Igarashi. Depois, tem o catarinense Alejo Muniz contra o australiano Julian Wilson na décima bateria e o paulista Miguel Pupo contra o havaiano Sebastian Zietz na 11.a. A vitória nesta rodada é superimportante, pois ela vale duas chances de classificação para as quartas de final e a pontuação no ranking sobe de 1.750 para 4.000.

Courtney Conlogue (USA) Placed 1st in Heat 3 of Round Two at Roxy Pro France 16 Courtney Conlogue WSL / Poullenot/Aquashot

ROXY PRO FRANCE - Depois da repescagem masculina, foi iniciada a segunda fase do Roxy Pro France e a norte-americana Courtney Conlogue ganhou fácil da surfista de Barbados, Chelsea Tuach, para continuar tentando levar a decisão do título mundial para a última etapa da temporada, o Maui Women´s Pro, no Havaí. Mas, a australiana Tyler Wright garante o caneco de campeã da World Surf League se vencer a etapa francesa e ela já conseguiu isso nos dois últimos anos. As duas são as únicas concorrentes ao título mundial de 2016.

World Surf League
Download it for free on the App store. Download it for free on Google Play.
Download
Download